Brasil Cidades Destaque Negócios Política Últimas Notícias

Situação econômica no país pede soluções de créditos imediatas

Embora as estimativas de crescimento do Brasil para 2022 sejam as melhores possíveis, não se pode negar que o pós-pandemia tem se manifestado de forma preocupante para diversas instituições financeiras. Uma das consequências dessa preocupação se deu nas recentes restrições de créditos de grandes varejistas do país como Renner, Riachuelo e Marisa cuja operação financeira de cartões é realizada pelas próprias lojas, não recorrendo à uma instituição bancária como ocorre em suas concorrentes como a C&A, por exemplo. No entanto, concomitante a isso, há um crescimento contínuo no uso de cartões de créditos – de instituições financeiras/bancárias –  em todo o país, isso porque as classes C e D dependem diretamente do cartão de crédito e das facilidades de parcelamento oferecidas por cada bandeira.

Outro ponto preocupante que se dá nesse momento são os juros altos que oferecem um risco real de endividamento de famílias inteiras, uma vez que, num momento de grande necessidade, não resta outra alternativa a não ser usar o cartão de crédito mesmo não sabendo direito se terá esse valor no vencimento da fatura. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor realizada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), muitas pessoas se endividam justamente pela facilidade em pagar apenas a parcela mínima do cartão adiando o pagamento total do saldo devedor para o próximo mês. É aqui que entram os juros estratosféricos do cartão de crédito – a do crédito rotativo do cartão chegou a 355% ao ano – e a dívida começa a se tornar uma bola de neve passando de endividamento para inadimplência.

Uma das soluções oferecidas pelo mercado que pode ser aproveitada nesse momento são os empréstimos. Isso porque as taxas de juros aplicadas aos cartões de créditos e ao cheque especial – 132,6% ao ano –  ainda são maiores que as taxas de juros aplicadas aos empréstimos.

Além dos empréstimos e linhas de créditos já conhecidos e oferecidos por diversas instituições financeiras, algumas dessas instituições começaram a oferecer também o serviço de adiantamento de FGTS que pode ser uma excelente alternativa para sanar dívidas. Isso porque os valores liberados dependerão do saldo ativo da conta do cliente, sendo essa a possibilidade mais imediata e de menos risco. Além disso, já temos outras propostas interessantes no mercado como o empréstimo com desconto na conta de energia, ou seja, o cliente pega um empréstimo e paga as parcelas desse empréstimo através da sua conta de energia, não necessitando recorrer à juros do cartão de crédito, por exemplo, ou ainda aos juros do cheque especial. Em paralelo a tudo isso, outras alternativas tem se destacado no mercado financeiro como o pagamento de contas via cartão de crédito com juros reduzidos. Nessa modalidade, o cliente pode inclusive fazer parcelamento de boletos pelo cartão de crédito. Diante de tudo isso, é importante que as pessoas procurem alternativas seguras, avaliem cuidadosamente cada uma dessas alternativas e escolha aquela que melhor se ajuste às suas necessidades.

*Paulo Cesar Lemes é Especialista em Franquias e Meios de Pagamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *