Cidades Destaque Últimas Notícias

Fórum de Rondonópolis está 100% digital

Foto: assessoria de comunicação do TJMT

O módulo criminal do sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe) foi implantado em Rondonópolis em 22 de junho e, com pouco mais de 30 dias de uso, a Quinta Vara Criminal conseguiu promover a inclusão de todo o seu acervo de processos físicos no novo sistema, tornando-se 100% digital. Mesmo em teletrabalho, a equipe, sob condução do juiz João Filho de Almeida Portela, realizou uma força-tarefa e, num esforço coletivo até mesmo aos finais de semana, conseguiu inserir aproximadamente 400 processos no PJe.

“Começamos esse trabalho no final de junho, quando tínhamos aproximadamente 600 processos físicos. Desses, 400 nós promovemos a digitalização e inserção no PJe e o restante estamos trabalhando com o arquivamento. Foi um esforço muito grande de toda a equipe do Juízo, gabinete e secretaria, para realizar os quatro passos, que são a digitalização, a migração, a juntada de PDFs e a juntada das mídias. Saímos do zero para 100% eletrônicos em aproximadamente um mês”, assinala o magistrado.

Para que a empreitada tivesse sucesso, foi elaborada uma espécie de escala de tarefas entre os envolvidos. Alguns ficaram responsáveis pela digitalização, outros pela migração e um terceiro grupo pelas juntadas. Além do juiz, atuaram nesse procedimento dois assessores, um gestor, dois analistas judiciários e dois estagiários, todos em home office.

“Tiramos todas as ações penais que estavam no Fórum. E temos uma gestão muito diligente, que levou equipamentos para casa e deu início à digitalização. Tenho que agradecer o empenho, o comprometimento e a dedicação de todos os servidores, que efetivamente se organizaram e vestiram a camisa para promover essa mudança abrupta em tempo tão curto. O trabalho deles foi determinante para chegarmos a esse objetivo de promover essa mudança do papel para o mundo digital”, assevera o juiz João Portela.

Pontos positivos – Conforme o magistrado, são muitas as vantagens advindas do PJe, como a agilidade e facilidade para manusear a ferramenta. “O sistema de movimentação é muito rápido. Cada um está trabalhando de casa e percebo que estão todos produzindo mais e melhor. A qualidade do serviço prestado é muito boa. Já houve uma evolução muito grande e a partir de agora só vamos trabalhar com o mundo virtual. Estão todos bastante empolgados por conseguirem trabalhar de casa. Nossa esperança é continuar nesse ritmo, desenvolvendo um trabalho que vá ao encontro dos anseios sociais.”

O juiz João Filho de Almeida Portela, que também é responsável pela Quarta Vara Criminal, destaca ainda as vantagens para os advogados, promotores e defensores, que também não mais precisarão ir ao Fórum para acompanhar os processos. “De todas as coisas ruins, temos que ver os pontos positivos. E no Poder Judiciário essa pandemia acabou trazendo um resultado positivo com relação à movimentação processual. A Administração do Tribunal atuou de maneira bastante engajada e adotou as providências de maneira bastante rápida. Aqui em Rondonópolis o PJe criminal passou a existir em 22 de junho e trabalhamos com bastante esforço para promover essa transformação”, destaca.

 

 

Informou assessoria de comunicação do TJMT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *